terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Haja fôlego para Bonito!



Rios de águas cristalinas repletas de peixes, cavernas submersas, grutas coloridas e cachoeiras nos mais variados tamanhos.

Agora acrescente a isso uma paisagem deslumbrante e um potencial de trilhas e caminhos que permitem praticar do mountain bike ao vôo livre, passando pelo mergulho, off road e rapel. Tudo isso contribui para que, depois de uma semana, o visitante tenha uma única reclamação: "já acabou?!". Imaginação? Não ! Esse lugar existe e não fica muito longe, é Bonito.

Localizado a 260 quilômetros de Campo Grande, capital do estado do Mato Grosso do Sul, o município de Bonito e toda a região a seu redor possui um sem-número de grutas, cavernas, nascentes, aquários naturais, cachoeiras, lagoas e sítios arqueológicos.

Se tem alguma coisa que marca o cotidiano dessa bela região brasileira é a aventura. A proximidade com Pantanal e com da Serra da Bodoquena e o fato de ser terra de peões de boiadeiros, onde muitas das atrações localizam-se em fazendas de criação de gado, ver imagens insólitas, como mergulhadores vestidos dos pés à cabeça - de cilindro e tudo –
atravessando o pasto em direção às cavernas já tornou-se algo natural e contribui para tornar a aventura ainda mais agradável aos adeptos desse estilo de viajem.

Bonito é uma viagem para a família toda e a diversão é para lá de garantida. Há vários passeios, para todos os gostos, justamente por isso, a cidade tem ficado lotada na férias e em todos os feriados.

É na época das chuvas, de novembro a março, que o município mostra sua melhor (e mais famosa )paisagem no auge: é a gruta do Lago Azul, com 126 metros de profundidade.
Localizada na Fazenda Anhumas, a 21 quilômetros da pequena cidade, a gruta, encravada numa rocha de aproximadamente 600 milhões de anos e descoberta pelos índios Terena em 1924, oferece pela manhã um espetáculo de grande beleza: entre 7h30 e 9h30, os raios de sol invadem a caverna e se refletem na água, tornando-a azul e provocando a formação de um vapor que corta o ar com as cores do arco-íris. As estalactites da gruta também se refletem nas águas do lago, duplicando as imagens.

O Lago Azul é um sítio pré-histórico, onde mergulhadores brasileiros e franceses descobriram, em 1992, fósseis de animais com cerca de 10 milhões de anos, entre os quais um bicho preguiça gigante.
Para quem gosta de esportes radicais, a lugar tem todas as qualidades necessárias: a paisagem deslumbrante, as belas trilhas para fazer “trekking” e ciclismo, montanhas para praticar o montanhismo, rios caudalosos para praticar mergulhos, canoagem, “canyoning” e o “rafting”, estradas com muitos atoleiros para a prática do “off- road”.

As agências de turismo estão sempre procurando inovar seus passeios, por isso mesmo quem vai sempre a Bonito continua tendo muitas surpresas. Uma das mais interessantes destas novas "estratégias de marketing" é feita por um “trailler” de lanches que fica próximo à entrada da própria Gruta do Lago Azul e entregam os lanches até no Abismo Anhumas, um tradicional local de rapel e mergulho técnico perto da Gruta. O mais interessante é que os lanches podem descer o Abismo de 72 metros por uma corda, atendendo ao mais radical - e faminto - dos aventureiros

Depois de saber de todas essas belezas alguém ousaria dizer que o nome “Bonito” não é merecido? Bonito é pouco!



Por: Rafaela de Castro

1 comentários:

Ricardo disse...

Rafa vc ñ tem jeito,sempre uma jornalista surpeendente! Publica aqui aquele matéria do Gaudi!
B-jão

VOLTE SEMPRE !!!
 
© 2007 Template feito por Templates para Você